terça-feira, 1 de setembro de 2009

Bye Bye Blog

Salve Maranduvás!
Licença,

Vim aqui agradecer
as varandas e janelas
na cabeça
que criamos nas ribanceiras de botões e fôlego
dessa maloca-blog.

não sei rezar em português

mas quem nasce na seca aprende desde míuda a lançar pedras na zica:

Que chova demorado
pra tacar disparo nos medos nossos de criar.

Que chova arriscoso
pra plantar peixes venenosos nas beiras da masmorra.

Que chova mansinho
pra arrepiar as esquinas subterrâneas da gente
de malícia.. de dengo... de mordidas.

Vou embora de escrevências
mas de ler vocês não deixo não.

Fiori, que é Lampião, Maria Bunita e Corisco
tudo junto na mesma ramagem

Lia, meu Lião minha bonina
( já me odiou com carinho e já me carinhou com zanga )
tem uma cachaçinha de alambique que eu trouxe do Quilombo Cafundó lhe esperando viu?
Minha amiga de garras e patas e coração de doce de batata-doce

Luiz, catalizador:
cata
aliza
a dor
e depois diz:
"tô misturando mpb dos anos 30 com rock'roll"
Valeu pela mandioca digital, pela ação.

E bem-vindos os novos enchuvarados:
Venham, venham!
remar!

Longa vida ao Blog!
Fértil arado.

Fernanda Rodrigues de Miranda

3 comentários:

fiori esaú ferrari disse...

Licença dada. A poesia é chão que não acaba. E vamo pra chácara esse fds? Tem chão lá tb!!! Bjo, com carinho.

Lia Maria disse...

&#$%#@ vc hein!
rs
e lá vai ter cachacinha ainda mulher? duvido,
e na dúvida a gente procura averiguar melhor né? rs, me spera tá.
Faz "judiar" nóis. O Povo se despede aos choramingos de seus novos textos, e grato por aqueles outros. E vamos com o coração mais cheio, com lembranças de Fernanda Miranda na valise. Valeu!

Fernanda Rodrigues de Miranda disse...

Se
a
Obra
é
a
Soma
das Penas,
Pago.
Mas
quero
meu
Troco
em
Poemas.

Valeu Lia e Fiori,
resgatei os textos que foram excluídos, depois re-posto.

abreijos.